quarta-feira, agosto 31, 2005

Letargia económica do concelho. A incapacidade de criar um cluster, em sectores como a faiança, a que o seu desaparecimento como motor da economia local seja uma questão de anos. A terciarização da economia vem em grande força. Se exceptuarmos a Benedita termos um concelho de serviços, com algum turismo fugaz. Preocupante.

2 comentários:

Mario Bernardes disse...

Os nossos empresários infelizmente não souberam reagir à crise e à nova realidade. Restanos assistir ao fim da faiança de Alcobaça.
Não adianta investir em algo que nunca se saberá aproveitar.
Soube recentemente que um dos nossos principais empresários deste ramos decidiu investir na China estando já a preparar a mudança que inclui mesmo formação aos futuros empregados Chineses. Um erro gravíssimo! Dentro de muito pouco tempo teremos o mundo invadido de faiança de Alcobaça "made in china" a um décimo do preço.

Cristóvão Matos disse...

Nada, ou quase nada, acontece por acaso. Numa época em que o investimento directo estrangeiro (IDE) não abunda, e é cada vez mais rigoroso na selecção de candidatos, não me parece que Alcobaça tenha criado condições estruturais para ser competitiva nesta matéria. Nem de IDE nem investimento nacional. Não abundam recursos humanos qualificados, e os poucos que existem estão fora, nem infra-estruturas de suporte. Os procedimentos burocráticos consomem imenso tempo às empresas e pouco ou nada foi feito nesta matéria.

Os poucos sectores de referência (agricultura, faianças, vidro) estão a perder peso, por falta de inovação.

Bom, mas esta seria uma longa discussão...